Belvino

Belvino

Ciclista tardio. Aprendi a pedalar com onze anos, mas comecei pra valer no mountainbike em 2008, aos 54 anos. Prefiro trilhas de média dificuldade, para fazer no meu ritmo, que pode chegar ao dobro do tempo dos mais jovens, Devagar e sempre.
====================
Três fatores principais considerados na classificação das trilhas.
1. Distância;
2. Piso e
3. Inclinação.
Um dos fenômenos mais bonitos em MTB é que não existem limites para as dificuldades das trilhas. Quando você acha que atingiu certo nível de qualidade técnica, certa capacidade física, descobre que já existe outro patamar a ser alcançado e novas trilhas lhe esperam, cada vez mais exigentes.
Da mesma forma, é sempre emocionante perceber como os novatos conseguem progredir e aprimorar suas capacidades. Nós não podemos sufocar este progresso ao avaliar e classificar trilhas. Será sempre importante a capacidade de cada um perceber seu nível atual e sua intenção de superá-lo em ritmo seguro. A classificação deverá ser sempre considerada como uma medida aproximada e mediana. A condição de uma trilha está em constante alteração. Novos obstáculos e imprevistos sempre poderão ocorrer. Uma trilha que você fez há um mês já não é a mesma de hoje. Considere sempre os parâmetros apresentados como um indicativo da faixa de dificuldade que aquela trilha pode lhe trazer.
Na literatura sobre o assunto diversas vezes encontrei menções sobre o risco de se analisar simultaneamente os três fatores apresentados no inicio deste artigo. Preferi criar uma tabela onde considero cada fator isoladamente, mais um quarto índice resultante da multiplicação ponderada dos três.
Por outro lado, a dificuldade da trilha também é diretamente proporcional ao nível técnico do ciclista. Quanto maior for sua capacidade e experiência, mais fácil se torna para ele superar os obstáculos que surgirem. Um iniciante pode encarar uma descida em cascalho solto, com “apenas” 15% de inclinação, como um pesadelo a ser vivido, enquanto para um ciclista mais experiente aquela descida é sinal de diversão garantida. Por outro lado, nada mais desagradável que pegar uma trilhinha curta, plana e maçante, sem nenhum atrativo para um ciclista experiente. Para isto, a tabela abaixo apresenta de forma divertida outra abordagem de classificação. Não a classificação do candidato a pedalar naquela trilha, antes, a categoria a quem ela melhor se adapta e mais vai agradar.
1. Iniciantes
2. Iniciados
3. Rôias
4. Rôias de Elite
5. Médio
6. Alto
7. Avançado
8. Elite
9. Masoquista
10. Suicida!

Medlem siden oktober 2009