Tid  2 timer 35 minutter

Koordinater 685

Uploadet 5. december 2016

Optaget december 2016

  • Bedømmelse

     
  • Information

     
  • Let at følge

     
  • Landskab

     
-
-
107 m
-3 m
0
1,8
3,7
7,39 km

Vist 1829 gange, downloadet 22 gange

tæt på Jurere Velho, Santa Catarina (Brazil)

Começo desta trilha com caminhada de 3 Km pela Praia de Jurerê Velho e Jurerê Internacional. Após esta caminhada, segue-se em direção a Praia do Forte, subindo a rua principal. No percurso entrada para as ruínas do Forte de São José da Ponta Grossa, porém seguiu-se a subida para início da trilha. No final da subida à esquerda, escadaria e ladeira com a Santa Cruz (uma Cruz de madeira na cor preta), sobe-se em direção à Cruz, pelo caminho conhecido como Santa Cruz, passando pelas casas dos moradores da região e com vistas esplêndidas das praias. Neste trecho existem muitos cachorros soltos dos moradores pelas ruas, que parecem mansos, porém fiquem atentos. Este início do caminho é em boa parte calçado com cimentado, e no final das casas começa a verdadeira trilha na mata. Primeira parte da trilha, é boa, bem aberta e com poucas subidas e descidas, além das vistas de Jurerê e Daniela para fotos, assim como parte do continente e Ilha de Anhatomirim. Existe momentos da trilha que se passa sob floresta de Pinheiros e mata bem fechada, e alguns momentos você sempre verá vestígios de civilização, através de cercados no alto do morro e próximos a trilha. Em uma parte da trilha, onde começará a descida, você chegará em um grande Lajeado de pedra, siga à direita para baixo, para retornar a trilha, este pode ser um momento em que você poderá se perder, fique atento. O restante da trilha é em descida, em trilha fechada e ruim, com muitos buracos, pedras e pontos escorregadios. Parte deste percurso você passará por mata de samambaias e logo após um bambuzal. Nesta parte você já avistará algumas casas de moradores da Daniela, e logo em frente, o final da trilha no Caminho do boi (Rua da Praia da Daniela). Caso você siga a esquerda irá em direção ao centrinho do bairro e para a praia maior de Daniela, porém para voltar à Praia do Forte você deverá seguir para o lado direito da rua calçada até uma pequena Praia. Descer escadaria de pedra à sua direita até um pequeno rancho de moradores da região, próximo a praia. Conheça e converse com os moradores, eles lhe darão dicas de como voltar e uma reposição de água fresquinha das fontes da região. Deve-se seguir em frente e próximo ao costão na primeira parte da volta, à frente uma intersecção, siga à direita subindo um pouco em direção à algumas rochas. Caso você pegue a trilha esquerda, chegará em muro de pedra de propriedade particular, rente ao muro para baixo você irá até os costões, é melhor voltar. Seguindo a trilha correta, à direita você chegará em algumas casas de região, com a trilha aberta e cimentada em algumas partes, nesta parte é só seguir em frente até o começo da Praia do Forte. Seu final se encerra entre dois grandes coqueiros , como um portal, chegando na praia. Primeira parte da Praia com lodaçais da região e algum gramado, seguindo em frente, rua de areia e acesso para praia. A Praia do Forte é uma praia pequena de areias brancas e água quente, siga até os restaurantes da região, especializados em ostras, criadas na própria praia. Caso você ultrapasse os restaurantes e siga pela praia até seu final, poderá subir o caminho até as ruínas do Forte. Optou-se em seguir a rua geral da Praia do Forte, atrás dos restaurantes, é uma rua calçada, com subida íngreme e exaustiva. Ao final da subida, pausa para um descanso e uma água, e segue-se o caminho em descida. Em entrada próxima à esquerda você poderá visitar as ruínas do Forte de São José da Ponta Grossa e tirar umas fotos no local ( Visitação até as 17h, porém você pode visitar espaço externo a qualquer hora), voltando para a rua geral, é só descer e chegará ao final. Você poderá pegar ônibus que chega até este ponto ou seguir para a praia de Jurerê à esquerda.
Strand

Praia de Jurerê

São dois mundos, divididos por uma linha imaginária. Do lado direito, hotéis, pousadas, casas de veraneio e frequência predominante de famílias. Do esquerdo, Jurerê vira Internacional e ganha ares de Miami Beach - um bairro planejado, com mansões milionárias e desfile de carrões. O pedaço é o epicentro do luxo em Florianópolis, sede de descolados beach lounges onde, no verão, as festas fervem regadas a espumante e ao som de batidas eletrônicas. Na praia, no entanto, Jurerê continua com um cenário único: mar calmo e limpo, faixa estreita de areia e boa estrutura de barracas. Tem início na divisa com Jurerê tradicional apenas por convenções sociais, pois não há divisa física. Estende-se até o Forte de São José da Ponta Grossa. É uma praia longa, com ondas longas e calmas, areia fina e amarelo claro. A temperatura das águas é morna durante o verão. O mar caracteriza-se como intermediário, ou seja, possui inclinação média, ocorrendo a arrebentação a uma distância próxima à praia. O relevo do fundo apresenta bancos irregulares de areia, onde quebram as ondas, que costumam ser de caixote e deslizantes. Outra característica é a média salinidade do mar. A praia tem uma extensão de, aproximadamente, 3.2 km com faixas de areia que variam entre 6 e 8 metros de largura.
panorama

Costão entrada Praia Forte

Costão de pedras de Jurerê, próximo ao P12 (Beach Club), com entrada para a subida de acesso à Praia do Forte.
panorama

Chegada Forte

A Ilha de Santa Catarina possuía um sistema defesa composto por três fortalezas que formavam um triângulo na entrada da Baía Norte, para proteger o território contra possíveis invasores. Duas delas estão localizadas em ilhas e só podem ser acessadas de barco: a Fortaleza de Sânto Antônio de Ratones, na ilha de Ratones, e a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, na ilha de Anhatomirim. A terceira encontra-se no norte da Ilha de Santa Catarina a 25km do centro de Florianópolis e pode ser acessada facilmente de carro, ônibus ou a pé. A Fortaleza de São José da Ponta Grossa está localizada no caminho para a Praia do Forte, com acesso pelo costão esquerdo da Praia de Jurerê Internacional pela Rua José Cardoso de Oliveira, que se inicia logo depois do Clube P12. A rua é estreita, sinuosa e inclinada, por isso é preciso ter bastante atenção e trafegar devagar. Há algumas placas de sinalização ao longo do caminho para auxiliar no deslocamento. Para quem está de carro há duas opções: deixar o carro num estacionamento pequeno bem próximo da entrada da fortaleza ou então seguir em frente até o final da rua, estacionando na Praia do Forte, e seguir a pé por uma pequena trilha no canto direito da praia, que leva diretamente à entrada da fortaleza. Quem vai de ônibus deve pegar a linha do Forte, saltar no ponto final e seguir alguns metros a pé.
Information

Entrada trilha Santa Cruz

Entrada "trilha Santa Cruz" ou o “Caminho e Trilha da Cruz” que percorre a crista do morro. Nos primeiros 400 a 500 metros, existem várias construções (algumas bem antigas), a maioria de nativos. Por conta dessa ocupação antiga, o início do percurso é denominado de “caminho”. A partir da caixa d’água da CASAN, passa a ser denominado de “trilha”, pois as construções são raras. O início do trecho da “trilha” está em razoável estado de conservação, contudo, a partir da região onde existem dezenas de pinheiros (vegetação exótica), surgem mourões com arame farpado. Esse cercamento é recente e impede a continuidade da trilha histórica, bem como, o acesso aos mirantes (grandes pedras no alto do morro).
panorama

Vista Jurerê

Vista de Jurerê Internacional e Tradicional.
panorama

Vista Anhatomirim

Vista da Ilha de Anhatomirim ("pequena ilha do diabo" em língua tupi), está situada na baía norte da ilha de Santa Catarina, atual município de Governador Celso Ramos, no litoral do estado de Santa Catarina, no Brasil. Nesta ilha rochosa foi construída, no século XVIII uma das mais imponentes fortalezas do sul do Brasil: a de Santa Cruz de Anhatomirim, que, restaurada, constitui-se hoje uma das mais expressivas atrações turísticas de Florianópolis. A fauna marinha é rica, com ouriços, estrelas-do-mar e peixes variados. Uma das grandes atrações são os muitos golfinhos que nadam em suas águas. Três pequenas praias arenosas completam o seu litoral. Seu relevo é bastante modesto: a altitude máxima é de 31 metros acima do nível do mar e a vertente norte apresenta o mais forte declive. Entre a ilha e o continente a profundidade é inferior a 5 metros, sendo intenso o processo de sedimentação. A Ilha de Anhatomirim está contida na Área de Proteção Ambiental (APA), e a exploração de seus recursos naturais é severamente limitada pelas leis municipais. A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, é um monumento tombado como patrimônio histórico e artístico nacional, desde 1938. Foi restaurada na década de 1980, passando a sediar estações de aquicultura e oceanografia, exposições de artesanato e de arqueologia, ligados à Universidade Federal de Santa Catarina, e, nos últimos anos, tem sido incorporada a campanhas educativas e turísticas, visando a divulgação do aspecto histórico e cultural das construções militares do litoral sul brasileiro. Atualmente a expressiva visitação à Ilha, especialmente por meio de escunas, alcança a cifra de 123 mil pessoas por ano.
panorama

Vista da Praia da Daniela

Daniela é uma praia situada no norte da Ilha de Santa Catarina,entre a Praia do Forte e a Barra do Sambaqui, em Florianópolis. A praia de Daniela é um balneário urbanizado, onde se mesclam moradores e veranistas.
panorama

Vista Jurerê

Vista Jurerê Internacional e Tradicional.
Information

Caminho para Daniela

Caminho para Daniela vindo da Praia do forte, metade da trilha.
Strand

Praia de Daniela e trilha de volta ao Forte

A formação geográfica da Praia Daniela impressiona por si só. É uma ponta de areia com vegetação que se estende para o mar, avançando sobre as águas. Uma comunidade onde residências de luxo se misturam com casas tradicionais e que conserva a tranquilidade de quem procura ficar longe da excessiva movimentação turística. É banhada pelas águas calmas e mornas da baía norte, perfeitas para quem frequenta a praia com crianças e idosos. A região conta com poucos serviços. Lá, o lazer é caminhar pela praia, pescar e desbravar as belezas naturais que o manguezal, principal formação vegetal da área, esconde. Badalação, festas e maior movimentação turística ficam em praias próximas, com fácil acesso de carro. A trilha é curta que conecta a Praia da Daniela com a Praia do Forte. Boa parte deste percurso é feita pela areia da praia, o que torna o passeio leve e agradável. O acesso é feito pelo costão direito da Praia da Daniela. Na primeira parte, a passagem por pedras e em seguida por duas prainhas. O trecho em seguida pode ser feito pelo morro, com entrada próxima a um bambuzal. Em períodos de maré baixa, é possível cruzar pelo mar.
træ

Figueira

Grande árvore da mata atlântica brasileira de que se fazem bateiras, gamelas, etc. O mesmo que gameleira-mansa, gameleira-roxa e oiti-bravo.
Information

Chegada Praia forte

Chegada na Praia forte, próximo a banhado e entre dois grandes coqueiros.
Strand

Praia do Forte

Praia localizada no norte da Ilha de Santa Catarina. Nela está situada a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, a cerca de 25 quilômetros de Florianópolis. O Forte integrava as bases de defesa da Ilha de Santa Catarina no período colonial e foi desativado a partir de 1935. A Praia do Forte está localizada no norte da Ilha de Santa Catarina, entre as praias de Jurerê e Daniela, a 25km do centro de Florianópolis. É uma das praias mais tranquilas da cidade, muito frequentada principalmente por famílias, em busca de suas águas calmas e sua grande faixa de areia. Ela está virada para o lado oeste, “de costas” para o oceano, tendo à sua frente como vista a Ilha de Anhatomirim e os morros que fazem parte dos municípios de Biguaçu e Governador Celso Ramos.
ruiner

Forte São José da Ponte grossa

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa localiza-se entre as praias do Forte e do Jurerê, no litoral do estado de Santa Catarina. Ergue-se em posição dominante na encosta do morro da Ponta Grossa, a noroeste da ilha de Santa Catarina, dominando a baía Norte. Projetada e construída pelo brigadeiro José da Silva Pais, primeiro governador da Capitania de Santa Catarina (1739-1745), é um dos vértices do triângulo defensivo da barra da baía Norte da ilha na primeira metade do século XVIII, integrado pela Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e pela Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. O sistema defensivo foi completado pela Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, na barra da baía Sul. Juntas, deveriam proteger a ilha de Santa Catarina, consolidando a ocupação do sul da Colônia, e atuando como base estratégica de apoio para a manutenção do domínio português sobre a Colônia do Sacramento. A fortaleza apresenta planta em formato poligonal orgânico (adaptada ao terreno em que se inscreve), em três planos distintos, protegidos à retaguarda pela encosta do morro, com as baterias voltadas para o mar. Os edifícios estão distribuídos pelos três diferentes terraplenos em cotas distintas, interligados por rampas e cercados por espessas muralhas em alvenaria de pedra e cal. O portão de acesso perdeu a ponte levadiça e o frontão originais, e o corredor de acesso, a abóbada em alvenaria de tijolos. Ladeando este último, a sala do calabouço, com porta e janela outrora gradeadas, e a Casa da Guarda, iluminada naturalmente por duas janelas em forma de seteiras. O corredor de acesso apresenta ainda as frestas na parede, por onde corria a lâmina que fechava o acesso em caso de ataque, conduzindo ao terrapleno inferior, onde se distribui a primeira ordem de Baterias. Junto a elas se encontram os vestígios de antiga Casa da Palamenta, com piso de alvenaria de tijolos, onde eram guardadas armas leves e os apetrechos necessários à manutenção e operação das peças de artilharia. Por se desconhecer a estrutura das paredes e respectiva cobertura, a mesma não foi restaurada. Completam o conjunto duas guaritas redondas sobre respectivos piões, em vértices opostos da muralha. A cantaria do Pórtico, dos edifícios, e a base de algumas canhoneiras é talhada em pedra de lioz. No terrapleno intermediário, localiza-se a segunda ordem de baterias e o Quartel da Tropa, com piso em alvenaria de tijolos, com a Cozinha anexa. Restaurado, é ocupado hoje pelas artesãs de renda de bilros, que ali trabalham e comercializam a sua arte. No terrapleno superior ergue-se a Casa do Comandante, um imponente sobrado de dois pavimentos, geminado com o Paiol da Pólvora, também assobradado com dois pavimentos. Na Casa do Comandante foi assinada a capitulação ante os espanhóis em 1777. Com piso em alvenaria de tijolos, o seu restauro só foi possível graças aos recursos da Fundação Banco do Brasil, em 1992. Hoje, essa edificação abriga a exposição "O Cotidiano da Fortaleza de São José da Ponta Grossa - Aspectos da Alimentação". No segundo pavimento do Paiol da Pólvora funciona uma Sala de Vídeo exibindo material sobre as fortalezas de Santa Catarina. Ainda no terceiro terrapleno localiza-se a Capela de São José. De linhas sóbrias, este edifício foi o primeiro restaurado pelo IPHAN no conjunto, ainda em 1977, uma vez que o mesmo ainda é utilizado pela comunidade. De formato retangular, com nave única separada da Capela-mor por um arco cruzeiro, o seu piso também é de alvenaria de tijolos, notando-se a ausência de uma torre sineira, o que é característico das capelas catarineneses do século XVIII, projetadas por arquitetos militares.

4 kommentarer

  • Foto af Johnny S

    Johnny S 12-12-2016

    Parabéns, belo tracklog e descrito com bastante Capricho!
    Abraços amigo.

  • Foto af mario cesar firmino

    mario cesar firmino 28-02-2017

    Muito boa as informações.

  • Foto af mario cesar firmino

    mario cesar firmino 28-02-2017

    Muito boa as informações. o alerta sobre os cães é muito importante.

  • Foto af zbrbo

    zbrbo 28-12-2017

    Excelente descrição.

Du kan eller denne rute